Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2009

Sérgio Cabral e as Olimpíadas

Obama garante que Chicago quer e está preparada para sediar os Jogos Olímpicos de 2016. Em um evento com atletas olímpicos e paraolímpicos, o presidente norte-americano esbanjou confiança, afirmando a vontade dos Estados Unidos de receber os jogos. A euforia de Obama não soa bem para Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro.

Chicago, Rio de Janeiro, Madri e Tóquio estão na disputa. O resultado será divulgado no próximo dia 2 em Compenhague, durante reunião do Comitê Olímpico Internacional. Para Sérgio Cabral a escolha do Rio de Janeiro como sede significaria um impulso considerável para a sua reeleição como governador. Apesar de não admitir, é nisso que ele está pensando.

Então é óbvio que os adversários de Sérgio Cabral torcem, mesmo que em silêncio, para que a confiança de Obama se reflita na escolha do dia 2.

Sarney x Imprensa

Durante sessão solene sobre o Dia Internacional da Democracia, José Sarney afirmou que "a mídia passou a ser uma inimiga das instituições representativas". Isso porque, para ele, o Legislativo é mais vulnerável às críticas, já que toma as decisões às claras.

Desde que os escândalos envolvendo o Senado começaram a vir à tona, Sarney travou guerra com a imprensa. Mais uma vez é aquela história. O mensageiro informa o Rei da existência de algum imprevisto e o Rei, ao invés de resolver o problema, manda matar o mensageiro. Tudo se resolve na base do "ninguém sabe, ninguém viu". Lula também assumiu a postura ao condenar o "denuncismo" praticado pelos jornalistas.

Com isso, estão tentando conter aquelas que são as principais funções da imprensa: investigar, descobrir, denunciar. Ainda mais quando se trata de política. Muito mais quando se fala em política no Brasil.

Por exemplo, se o presidente do Senado recebe auxílio-moradia mesmo possuindo residência própria em…

Domingos Oliveira, um gênio

Conheci Domingos Oliveira por acaso. Foi durante um daqueles momentos de tédio em frente à TV, trocando de canal alucinadamente. Passei pelo Canal Brasil, como sempre faço em ocasiões como essa. Sou um apaixonado por cinema brasileiro, e pra saciar essa paixão nada melhor do que o canal que é mestre no assunto.

Nesse dia passava um programa chamado Todas as mulheres do mundo, não sabia do que se tratava. À princípio me pareceu um simples programa de entrevistas, só depois entendi a dinâmica. Era um conceituado diretor de teatro e cinema conversando com diversas artistas das mais diferente áreas, porém não menos conceituadas. Depois vim saber que Todas as mulheres do mundo era o nome do primeiro filme do apresentador, o tal Domingos Oliveira. Daí o nome do programa.

O que me chamou a atenção no primeiro momento foi a maneira como Domingos pronunciava as palavras. Falava exatamente como um bêbado, enrolado. Era tarefa árdua entender. Achei graça nisso e fiquei curioso, passei a assistir t…